Search
1235
 

a retrosaria fora de portas

Posted on June 06, 2017 | 0 comments

Uma imagem apenas para ilustrar um dia muito especial em que organizámos uma pequena excursão pelo Baixo Alentejo com um grupo de mulheres que vieram a Portugal para o retreat Taking a Moment in Time. Na fotografia está a designer Renée Callahan, uma das participantes, na pequena oficina de fiação - um dos pontos de passagem - onde nasce o nosso Alfeire

Continue reading →

De quantos novelos preciso?

Posted on February 21, 2017 | 0 comments

Uma das perguntas que mais frequentemente nos fazem é De quantos novelos preciso para fazer... uma camisola, uma gola, um modelo de uma revista, etc. Deixamos aqui dois cenários muito comuns e alguns conselhos para que possa aprender a resolver este problema:

A. De quantos novelos preciso para fazer uma camisola para mim com o fio X?

Vamos supor que o fio em questão é, por exemplo, o Merino 4 Us e que a pessoa em causa é uma mulher que veste habitualmente o tamanho M.

Temos antes de mais de aprender a interpretar a informação que os próprios fabricantes fornecem sobre os seus fios. Algumas marcas, como a Katia, indicam no rótulo dos seus fios o número de novelos necessários para a confecção de uma camisola.

Consultamos a descrição do fio ou o rótulo do novelo para sabermos a densidade ideal do tecido (gauge) indicada pelo fabricante: 23 malhas e 25 carreiras num quadrado de 10cm.

interpretar o rótulo de um novelo

De seguida usamos este formulário, escolhendo as opções adequadas. No campo Gauge o formulário não tem a opção 23 sts, por isso deveremos escolher a opção 22 ou 24.

Knitting Calculator at Jimmy Beans Wool

Com a opção 22 sts, o resultado sugerido é 1647 metros de fio. Para sabermos a quantos novelos corresponde este número de metros, voltamos a consultar o rótulo do novelo para sabermos quantos metros de fio tem cada novelo: 125m

interpretar o rótulo de um novelo

A seguir basta aplicar a regra de três simples: se 50 gramas são 125 metros, 𝑥 gramas serão 1647 metros:

𝑥 = (50*1647)/125
𝑥 = 658,8g de fio, ou seja 14 novelos (659/50 = 13,18).

Convém ter em conta que estes resultados são indicados para uma camisola de corte clássico realizada em ponto de meia (jersey). Camisolas mais largas ou compridas, com torcidos ou outros pontos precisarão sempre de uma maior quantidade de fio. Por outro lado, os resultados foram calculados com base numa densidade de 22 malhas em 10cm de tecido. Para que sejam válidos, é necessário que tricotemos a nossa camisola com essa mesma densidade.

B. Quero fazer um modelo de uma revista mas com outro fio, de quantos novelos vou precisar?

Antes de mais convém saber escolher um fio adequado. O objectivo é encontrar um fio que seja o mais parecido possível com o fio original.

Quando queremos tricotar um modelo de um livro ou revista com outro fio que não o fio indicado pelo autor devemos ter muita atenção à sua composição e metragem. Muitas vezes as revistas não nos dão esta informação (quantos metros e que composição tem o fio indicado para um modelo), mas podemos consultar a secção de fios do Ravelry para ficarmos a saber.
De seguida devemos procurar um fio com uma composição o mais idêntica possível à do fio original, porque as fibras de que um fio é feito condicionam em muito o tipo de tecido a que dão origem. O cair de uma camisola de algodão, por exemplo, é totalmente diferente do de uma camisola de lã.
Mais importante ainda é escolhermos um fio com uma espessura igual ou o mais parecida possível. Para isso, devemos procurar um fio com uma metragem tão próxima quanto possível da do fio recomendado pelo modelo. Isso consegue-se analisando o número de metros existentes num novelo do fio recomendado e procurando um fio com o mesmo número de metros para o mesmo peso. Esta informação, como já vimos acima, é indicada nos rótulos dos novelos.
Finalmente uma vez escolhido o fio ideal, devemos adquirir o mesmo número de metros recomendados para o fio original.

Continue reading →

fusos portugueses para fiar lã

Posted on April 30, 2015 | 0 comments

Andreia de Almeida - a criação do fuso

Há anos que a Retrosaria procura e disponibiliza fusos para fiar originários de diferentes regiões do país. Já tivemos, entre outros, fusos de urze da Serra de Montemuro e fusos de ferro de Monchique, feitos por artesãos locais e normalmente disponíveis em quantidades muito limitadas. Esta semana celebramos o facto de termos passado a ter fusos feitos especialmente para nós. São de nogueira - uma madeira particularmente indicada para este fim - pela entalhadora Andreia de Almeida (formada pelo Instituto de Artes e Oficios da FRESS) e foram inspirados em fusos portugueses antigos. Já os estreámos no workshop de Sábado e convidamo-vos a experimentar, porque são mesmo bons.

Fuso em nogueira
Lã cardada para fiação e feltragem (indicada para fiação de fios cardados/woolen)
La penteada para fiação e feltragem (indicada para fiação de fios penteados/worsted)
Próximo workshop de fiação


Continue reading →

1235
 
Scroll to top